24 setembro 2006

Linhas Aéreas

Problemas das linhas
aéreas com combustível
Só nos Estados Unidos a aviação civil gasta 19,9 bilhões de galões de QAV (querosene de aviação). Note-se que 42 galões equivale a um barril. Para aliviar o peso do custo dos combustíveis, as linhas aéreas fazem de tudo. A Air Canadá chegou a raspar a pintura de um 767 (foto). A tinta pesava ao redor de 180 quilos. A economia seria de 80 dólares em cada vôo transatlântico.
Solução da GOL

No Brasil, onde o preço do litro de QAV está ao redor de R$ 1.44, fora ICMS e outros impostos está acontecendo de tudo. No caso da Gol, as despesas com combustíveis cresceram de R$ 732 milhões no primeiro semestre do ano passado para R$ 977 milhões em igual período deste ano. O peso do querosene no total de gastos operacionais da companhia saiu de 20% em 2002, passou para mais de 31% em 2004 e hoje representa quase 40% dos custos, segundo o site Defesa Net. É o maior gasto isolado.
Mais da GOL - Enquanto a despesa com combustíveis beirou R$ 1 bilhão no primeiro semestre, o leasing de aeronaves alcançou R$ 400 milhões. O gasto com pessoal respondeu por R$ 394 milhões e o pagamento de taxas aeroportuárias à Infraero consumiu R$ 141 milhões. Faço questão de destacar isso, porque no turismo de terra, não se fala do sofrimento das linhas aéreas.


Gastos da TAM -
Ainda saegundo o site Defesa Net, a participação dos combustíveis no total de despesas operacionais da TAM saltou de 25,2% em 2004 para 33,6%, de janeiro a junho deste ano. A TAM anunciou a implementação de um projeto para dar nova identidade visual ao interior das suas aeronaves.
Solução da TAM - O carpete, por exemplo, foi desenvolvido com material compactado, diminuindo a densidade por metro quadrado. Junto com a utilização de tecidos mais leves nas poltronas, o peso final de cada avião será reduzido em 150 quilos, gerando uma economia anual no consumo de combustível estimada em US$ 1 milhão.
Outra prática que já vinha ganhando espaço, destaca a Defesa Net, é a de abastecer as aeronaves preferencialmente nos aeroportos de Estados que cobram alíquotas menores de ICMS sobre o querosene de aviação. É o caso do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, onde a alíquota é de 4% - em São Paulo, o ICMS é de 25%. Esse planejamento rendeu à TAM uma economia de R$ 16,3 milhões no primeiro semestre de 2006.
Destaco isso aqui para dar uma força o secretário de turismo de Foz do Iguaçu, que propôs ao Governo do Estado que adotasse uma tarifa diferenciada ou isenção de ICMS para Foz do Iguaçu. Não sei se isso seria possível, mas pelo menos seria interessante para o Paraná.

De volta a GOL Talvez quem mais esteja inovando no que se refere à diminuição dos custos com querosene seja a Gol. Em 30 de julho, a companhia recebeu a primeiro das 67 aeronaves da encomenda à Boeing do modelo 737-800 "Special Fuel Performance". Ela é mil quilos mais leve do que aviões de modelo semelhante, da própria Gol ou de outras aéreas. Para diminuir o peso, a companhia brasileira estudou durante um ano e meio, com a Boeing, a substituição dos materiais compostos. Já volto com mais!!

Nenhum comentário:

Hora Mundial