02 fevereiro 2009

Parque Nacional do Iguaçu: como era antes da concessão?




Antes de primeiro de janeiro de 2000, a área de visitação do Parque Nacional do Iguaçu, quer dizer, a Área Cataratas - como dizem os argentinos, já era concessionada. As concessões na época tinham preços quase simbólicos. Tinha concessão pagando, por exemplo, R$ 500 por ano e faturando milhões. O Ibama, por meio de funcionários, cobrava o ingresso, diretamente. E o preço da entrada era R$ 2.00, depois deu um salto para R$ 6.00.

A partir de 2000, não vou falar do processo que começou por volta de 1996, as concessões passaram a vigorar sob uma nova ótica: maximização dos valores, lucro como diz o ministro Minc do Ambiente. O Governo abriu o olho e aguçou o apetite. Hoje qualquer concessão é alvo de "aluguéis" salgados. Basta ver o que a Orient Express vai pagar por mês pelo hotel. Mais de 200 mil. Além de assumir projetos ambientais, paisagismo (enterrar os fios da Copel, fazer ciclovia etc). Os preços são altos e se aproximam do iniviável em alguns casos - veja por exemplo o preço do passeio do Macuco Safari. Diz o Governo via Ibama (agora Xico Mendes) que tudo melhorou; a estrutura melhorou, o atendimento melhorou.

Nesta nota me limitarei a deixar que você vá juntando os fatos. Coloquei, lá em cima, a foto da Lanchonete Echaporã, saudosa, conhecida, famosa inclusive pelo mau serviço. Eu passei muita raiva lá (e sem querer ofender a ninguém). Veja também a foto 2, onde aparece a antiga Lanchonete Porto Canoas. Clique na foto, amplie, estude os detalhes. Não há como negar que o atual Restaurante Porto Canoas é muito melhor. Não é?

Creio que o eu digo bate com o primeiro parágrafo da entrevista feita pelo H2Foz com o diretor do parque Jorge Pegorarao. Veja o que ele diz:

H2FOZ – Por que o Parque do Iguaçu é referência em gestão administrativa?

Jorge Pegoraro – Devido aos investimentos nos últimos anos no sentido de melhorar a visitação e os atrativos, com recursos da iniciativa privada. Mais de R$ 30 milhões de empresas concessionárias foram investidos nos últimos oito anos. Ocorreu um fortalecimento na instituição com contratação de mais funcionários terceirizados, aquisição de analistas ambientais provindos dos últimos concursos públicos e também com implantação de um sistema de gestão ambiental.



NOTA: Esta é a primeira de uma série de postagens sobre o Parque Nacional do Iguaçu. Depois volto!
Texto produzido por Jackson Lima às 16:25 0 comentários Links para esta postagem

Um comentário:

Eli Sandra Barbosa disse...

Legal. Eu não conhecia este parque. Parabéns pelo trabalho.

Hora Mundial