08 agosto 2009

Jujuy: quebrada de humahuaca: o que eu descobri sobre o povo e como vive


Foto das batatas coloridas dos Andes - fonte: Página 12

O turismo é complexo. Quando eu viajo, como jornalista de turismo, eu mantenho meus olhos abertos para enxergar todas as conexões e ligações do lugar visitado. Em Jujuy, Terra das Quebradas e dos Vales, enquanto a 'Van' que transportava o grupo passava pelas ruas das pequenas cidades à caminho dos “atrativos” eu me mantinha atento às pequenas dicas, quaisquer que fossem, sobre o povo local, como vive, em que trabalha, sua relação com a paisagem e a terra.

A maioria de nós os jornalistas que viajamos à convite da EB Group Travel, da Andes Linhas Aéreas e dos empresários de turismo das províncias de Salta e Jujuy, reside nas verdes paisagens de Terra Roxa do Oeste do Paraná ou nas Tierras Coloradas de Misiones, Argentina. Ver a aridez de Jujuy não dixa de ser um choque. Como se vive aqui? Ver umas pessoas plantando batatas andinas, milho e outros hortifrutigranjeiros noque parece um deserto nos dá a idéia de ver um esforço isolado. Descubri, em algum lugar, um folheto do Governo de Jujuy feito em conjunto pelo Ministério de Produção e Meio Ambiente (MPYMA), Secretaria de Cultura e Turismo e a entidade de promoção do comércio (Comercializar Jujuy) que me ajudou a entender essa organização produtiva e sua ligação com o turimo. Quer dizer o Governoquer que o turismo ajude.

Destaco a Cooperativa Agropecuária União Quebrada y Vale (Cauqueva) na cidade de Maimará que reúne 140 produtores indígenas grande responsável pela produção nas terras áridas. Falar em batatas nos Andes é falar de centenas, milhares de variedades. E a Cauqueva oferece batatas de todos os tamanhos e cores produzidos sem agrotóxicos segundo métodos ainda incaicos. Achei muito interessante encontrar essa informação junto com a folheteria turística de divulgação.

Em uma das ruas principais de Tilcara vi uma placa que anunciava um negócio bem interessante: llamas. Llamas para caravanas turísticas, llamas como animal de estimação e até llamas para criadores em outras regiões da Argentina. Farei uma nota especial sobre caravanas de llamas (llama trekking) nos Andes e até nos Estados Unidos.

Quem esteve no famtur comigo entendeu logo de cara que o leite de cabra aqui é a coisa típica da região. Todos os restaurantes inclusive o de hotéis internacionais ofereciam queijo de cabra em vários pratos do cardápio. A cabra e a região árida da quebrada parecem ter nascido uma para outra. Ser “pastorcito de cabra” aqui tão normal que a cantora Monica Pantoja, que já mencionei antes é conhecida como uma “Zágala” ou seja pastorinha de cabra. Um lugar onde se vende queijos de cabra e outros produtos das terras é a Cabaña La Carolina. Eu tenho tendência a ver aqui um bom exemplo para nós em Foz do Iguaçu e outros "destinos". O turismo pode judar a descobrir um pouco mais sobre o povo local e suas atividades e necesidades?

Nenhum comentário:

Hora Mundial