19 maio 2006

Lugar de Poder


Embora a terra toda seja sagrada, as diversas tradições mundiais têm escolhido lugares específicos como lugares possuidores de valores, características e propriedades sagradas. São chamados de Lugares Sagrados. As Cataratas do Iguaçu são um desses. São lugares onde existem condições especiais que influem nas pessoas que os visitam. Todos sabemos que a maioria das pessoas que visitam às Cataratas saem sorrindo. Saem mais leve.

A tradição mundial explica por quê. Segundo a literatura sagrada hindu: "Certas áreas da Terra são mais sagradas que outras, algumas por conta de sua situação, outras por causa de suas águas, e outras por causa da associação ou habitação homens de santos" (Mahabarata (108: 10-18).

Para os mais seculares, mais racionais, vale lembrar Platão, falando sobre a beleza estética natural: "Em todas essas qualidades tais lugares se excedem em que há uma divina inspiração, e na qual os deuses têm suas moradas e são propícios para os que neles moram".
Os índios guarani vêem as Cataratas como Lugar Sagrado. Em 1992, índios do Mercosul se reuniram no Teatro Barracão, em Foz do Iguaçu. O encerramento do congresso indígena foi nas Cataratas do Iguaçu. Os índios de todas as tribos presentes, foram convidados pelos guarani do Brasil, Paraguai e Argentina para uma cerimônia chamada Mandu’á Porã (Boa lembrança). Na cerimônia só os donos da casa cantaram e dançaram. Os índios de mais de 40 tribos, observaram. Eram os Guaranis em suas Cataratas Sagradas.
Como é diferente do turismo mercantilista, onde os visitantes sequer são informados da importância espiritual das Cataratas! Como é diferente do papel das Cataratas hoje que se resume a gerar divisas para poucos e manter a pirâmide de distribuição de renda em Foz do Iguaçu em seu status iníquo de desigualdade.
Mas voltando ao Lugar Sagrado. Há centenas de livros, organizações e especialistas sobre os lugares sagrados ou lugares de paz e poder. Nos últimos meses tenho sido orientado por alguns deles. Infelizmente nenhum brasileiro. Falo de Paul Deverreu, maior autoridade no assunto na Inglaterra; falo de Martin Gray, antropólogo americano que há 16 anos visita lugares sagrados naturais (montanhas, rios, cachoeiras) ou feitos pela cultura humana (templos, monastérios, cidades de peregrinação no mundo cristão, budista, hiduísta, judeo-cristão, islâmico e de outras culturas).
Além de se falar em lugares sagrados, esses lugares também são chamados de "Lugares de Paz e de Poder". Segundo Martin Gray, são lugares com campos magnéticos que emanando do lugar sagrado influenciam ou podem influenciar (desde que haja consciência) a uma área considerável do território ao redor do Lugar Sagrado. Em nosso caso, isso envolve toda a cidade de Foz do Iguaçu e suas vizinhas Puerto Iguazu, CDE e Presidente Franco – onde está o Salto Monday.
Em um de seus trabalhos, Martin Gray destaca 22 variedades de lugares sagrados e 32 fatores que influenciaram na escolha deles como "lugar sagrado". Entre os fatores, ele destaca, um "lugar situado sobre um enorme bolsa de água subterrânea". Destaca também, um "lugar próximo ao encontro de dois rios". Destaca ainda, a presença de Cachoeiras, nascentes ou Cataratas. Ora, Foz do Iguaçu e as cidades irmãs, têm os três. Temos as Cataratas – um lugar sagrado em si. Temos o encontro de dois rios o Paraná e o Iguaçu e ainda estamos sentados em cima do maior aqüífero do Mundo.
Então o que falta, para assumirmos, nosso papel como lugar sagrado e trazermos visitantes conscientes que receberão muito mais do lhes damos hoje? O que estamos dando aos visitantes?
Por fim, Paul Deverreu destaca que uma maneira de conhecer um lugar de poder é a força de atração do lugar para pessoas com certa mentalidade. Uma mentalidade especial em relação às energias do lugar. Por que outra forma poderíamos explicar o motivo do Centro de Altos Estudos da Consciência vir para Foz do Iguaçu? E isso estou falando totalmente desautorizado pelo Centro.
Se paramos para olhar, veremos que cresce em Foz do Iguaçu a quantidade de gente que poderemos chamar de místicos; terapeutas; estudiosos da consciência. Por quê? Por quê os chineses constróem templos aqui? Por que temos uma linda mesquita e outra está em construção?
Tendo dado o primeiro passo pessoal no esforço de sair de cima do muro e colocar o rosto à disposição de quem desejar bater, concluo por hoje, afirmando que do jeito que estamos, não adianta Foz do Iguaçu tentar vender-se lá fora.
Se aqui dentro não sabemos o que temos a oferecer. Se somos tão especiais por que temos tanta miséria? Por que a ilegalidade nos persegue? Por que somos perseguidos pela mídia? No momento basta dizer que isso é parte do processo do progresso. Waldo Vieira, chama de "pensene" um neologismo que transforma pensamento, sentimentos e energia em uma só entidade. Estamos no meio de uma batalha entre o velho "pensene" da exploração para um pensene que todos nós que vivemos em Foz devemos resgatar ou adotar.
Nota:
Este artigo é muito antigo. Foi publicado em uma edição especial editada pela jornalista Edil Duarte. Este foi um dos primeiro artigos que deram início ao projeto de escrever o livro "A Y-Guaçu Secreta, Cataratas do Iguaçu cmo um Chakra da Terra". O artigo se encontra permanentemente no
blog do livro. Obrigado. Shanti.

Nenhum comentário:

Hora Mundial