27 agosto 2006

Pequenas e curtas

Curiosidades!

Veja antes que acabem

O repórter e chefe do escritório da revista Newsweek no Brasil, Mac Margolis é o principal autor de matéria de capa (10 de abril de 2006) que aponta as “Sete Maravilhas Mais Ameaçadas do Mundo”. Na lista estão: 1) o complexo de mais de 40 templos do Vale do Rei e Vale da Rainha em Luxor, Egito, 2) as ruínas de Babilônia na Mesopotâmia, Iraque,(fotos tiradas por um fuzileiro naval dos EUA) 3) Machu Picchu, Peru, 4) o Triângulo de Coral que vai da Indonésia, a Papua Nova Guiné, Filipinas, Malásia e Ilhas Salomão, 5) as Maldivas – o País inteiro está ameaçado pelo perigo de afundamento graças ao aquecimento global, 6) Veneza na Itália e a 7) Grande Muralha da China.

Que ameaça?

A causa da ameaça em Luxor é o turismo, o pilhagem e a erosão causada pelo aumento da salinidade após a construção da Hidrelétrica de Assuã no Rio Nilo. Na Babilônia, no Iraque, o motivo é a guerra. Diz Margolis que há trincheiras de soldados americanos na área das ruínas da cidade construída pelo rei Nabucodonosor. Em Machu Picchu é o grande número de turistas que pisoteiam o frágil solo que se encontra sobre uma falha geológica.

No Triângulo de Coral é a sobrevivência baseada na pesca que usa explosivos e venenos. A República das Maldivas porque o nível do mar aumenta, Veneza por ter sido construída sobre a placa tectônica africana que decidiu mergulhar para debaixo da placa européia. O Mar Adriático também tem seu nível aumentado por causa do aquecimento global etc.

E no Brasil?

Que patrimônios estão em perigo? Eu tenho minha própria lista: Pantanal, Amazônia, Cataratas do Iguaçu, Rio Paraná, Rio Iguaçu, Rio São Francisco e tudo mais. Eu tenho a impressão que até o lambari está sumindo das águas locais.

Clube da alta


Escute isso! O Mundo tem hoje 8.3 milhões de milionários, segundo o World Wealth Report (Relatório da Riqueza Mundial) 2005 produzido pela firma Merrill Lynch and Capgemini citado pela revista Newsweek (15 de maio 2006). A maioria deles, quer dizer dos ricos, foram produzidos pela boa onda da globalização. Os novos ricos demandam novas ofertas. Por exemplo o Clube Tanner & Haley que possui 150 residências de luxo – com preços na casa dos US$ 12 milhões cada – disponíveis para os associados.

Detalhe: para ser sócio, o novo rico ou velho rico deverá pagar uma taxa vitalícia de US$ 1.5 milhão. Daí é só manter a anuidade ou taxa de manutenção em dia. São só US$ 75 mil por ano. Se você está entre os que podem se candidatar, confira as ofertas no site acima.

Nenhum comentário:

Hora Mundial