13 novembro 2006

Capacidades de carga em turismo segundo Van Houts

Só para não ficar sem dizer nada, lembro, hoje, aqui e agora o conceito de "capacidade de carga" em turismo. Segundo estudos de van Houts existem várias espécies de limites de capacidade. Ele cita "capacidades" de carga física, psicológica, social e econômica, entre outras. 
Doris Rusch, uma grande pesquisadora do turismo lembra que capacidade de carga "é o número de turistas que uma área pode acomodar , antes que ocorram impactos negativos no ambiente físico, nas atitudes psicológicas dos turistas, no nível de aceitação social da comunidade receptora e no nível de otimização econômica".

Ela vai mais fundo e detalha o que quer dizer cada uma das diferentes variedades de "capacidade de carga" acima. Por exemplo: a Capacidade de carga física envolve duas áreas: capacidade máxima de acomodação de pessoas e deterioração física do meio ambiente provocada pelo turismo.

Capacidade de carga psicológica terá sido ultrapassada quando os turistas sentirem desconforto na destinação que pode ser provocado por razões tais como: percepção de atitudes negativas por parte da população local, excesso de pessoas na área.

Capacidade de carga social estará ultrapassada quando os moradores da localidade não aceitarem mais os turistas, por que eles destróem seu meio, agridem sua cultura e impedem sua participação nas atividades e freqüência a lugares que lhes pertencem. É quando aparecem placas do tipo: Tourists Go Home! ou Turistas piquem a mula!

Capacidade de carga econômica está relacionada com a rentabilidade dos equipamentos e a filosofia comercial dos empresários e órgãos públicos: tenta-se atrair o maior número de pessoas para uma destinação, desconsiderando a quantidade ideal para a rentabilidade do setor. Como se sabe, o excesso na quantidade de turistas diminui a qualidade dos produtos e serviços prestados provocando a rejeição do local para viagens futuras.
Exercício: leia e lembre o que pode estar acontecendeo em seu "destino". O lucro está lá embaixo? Há a impressão de que o lugar já deu o que tinha de dar? Os moradores locais detestam turistas e estão planejando ir embora? É o que acontece na Espanha, no litoral paulista e muitos outros lugares e significa que o limite psicológico das pessoas foi abusado. A poluição cresceu? A sua baía, praia, lago viraram esgotos? Então o problema é de carga física. Pense nisso!

3 comentários:

Anônimo disse...

É bom sempre que citar um autor, colocar as referências do mesmo. Como no exemplo da Ruschmann, que por sinal, é uma ótima escritora. Seu texto tb está ótimo,simples e direto.

Sergio Salvati disse...

Existe um ditado que diz: "cópiar de uma pessoa é plágio, copiar de várias é pesquisa. Este ditado resume a obra da prof. Doris Ruschman, Beni et all 'doutores' em turismo. Outro diz: que sabe faz, quem não sabe vai dar aula. Pra provar isso, a 'dra' Doris, diz que é o numero de turistas - o que é completamente errado - o conceito certo é 'visitas' por tempo e não visitantes.

Mauro Bandeira disse...

OLha só Jackson , os comentaristas estão afiados ,legal.
Só não entendi o professor que critica outros professores , afinal se conceitua um colega como completamente errado , e que ele é errado por que não sabe ,por isto é professor...e quem sabe não vai dar aulas...fiquei confuso!!!
Saudações Jackson!

Hora Mundial