20 outubro 2009

G20 terá grupo especializado em Turismo, o T20

Quinze dos 20 ministros de turismo dos países conhecidos como G20 se encontraram em uma café-da-manhã de trabalho em Astana, Cazaquistão, no começo do mês. Foi durante a Assembléia Geral da Organização Mundial do Turismo. Como resultado do encontro, os ministros do turismo decidiram que o turismo deveria receber uma atenção especializada do G20 e por isso decidiram criar uma reunião especial chamada T20 ou Grupo de Ministros do Turismo do G20 que responderá pela sigla T20.

Os ministros marcaram a primeira reunião para o período de 22 a 24 de fevereiro de 2010 na África do Sul. Os presidentes e chefes de estado do G20 serão informados sobre a decisão dos cabeças do turismo do grupo na próxima reunião do G20 no Canadá. A justificativa para a criação de um grupo de alto nível para pensar o turismo mundial é, dar ao turismo maior voz no planejamento central das atividades econômicas.

Entre outras coisas, o setor do turismo quer ser ouvido sobre o estímulo que as viagens e o turismo podem dar para a recuperação da economia global. A Organização Mundial do Turismo vê com bons olhos a iniciativa dos ministros que agora formam o T20, segundo palavras do secretario geral Taleb Rifai.

Mas, por enquanto o grupo ainda é informal. O G20 é formado pelos ministros de economia e presidentes de bancos centrais da Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Coréia do Sul,Turquia, Reino Unido e Estados Unidos da América!

Um comentário:

Renato disse...

Se tiver interesse para o Turismo terrorista pode ser usado no Vosso congresso



http://principado-da-pontinha.blogspot.com/

Estão a vender um ilhéu que não é português e ameaçam-nos de morte por não vender ao poder politico e com a oocupação das autoridades
portuguesas pelo uso da força.
o futuro lugar do mundo que só os estrangeiros têm o previlegio da
informação e de entrar neste lugar mágico que o governo português
disse não ter qualquer interesse mas ofereceu 75.000 euros. quando o
historiador José Hermano Saraiva foi convidado a visitar o forte a
resposta foi imediata:
- ESTOU PROÍBIDO DE ENTRAR NO SEU FORTE
isto sim é TURISMO TERRORISTA

Hora Mundial