31 janeiro 2012

Um personagem de Foz do Iguaçu: vizinho do Templo Budista

"Gustódio Alfaiate é meu nome político", disse o senhor acima vestido de capitão de embarcação. "Meu nome civil, de nascimento é Custódio da Silva". Conversei com o Custódio na Fundação Cultural, um bom lugar para encontrar gente com projetos. Falando com ele, descobri que ele nasceu em Minas Gerais e veio para o Paraná com os pais quando tinha cinco anos. A família veio para a região de Tamboara e Paranavaí. Lá se criou no campo na roça e aprendeu uma profissão: Alfaiate. Na última eleição foi candidato a vereador em Foz do Iguaçu. No bairro onde mora, disseram, fez 90% dos votos. Longo caminho para quem chegou em Foz em 1977 por causa da obra. "Não trabalhei na obra. Trabalhei indiretamente", disse explicando que abriu uma alfaiataria na Vila São Sebastião e costurava para os trabalhadores da obra em parceria com alguém que vendia cortes de pano lá no canteiro. A primeira vez que veio a Foz foi numa excursão em 1965. Era na época do "pau-de arara turismo". Hoje no que se refere à profissão, ele diz que está na reserva mas uma vez alfaiate sempre alfaiate e quando o dever chamar ele estará pronto. Ele gosta da profissão; ele diz que ganhou até diploma de consagração pública na época do presidente Ernesto Geisel por causa da profissão. Em Foz já deu até aula de costura em projetos sociais. "Eu não vou pagar aluguel de uma sala, mas se a prfeitura arranjasse uma sala eu daria aulas para ensinar uma profissão a quem precisa". Ele gosta da Marinha. Reclama porque nunca conseguiu ser atendido pelo comandante da Capitania Fluvial do Rio Paraná. Não consegui confirmar se ele já foi da marinha e nem consegui saber se ele já viu o mar. Fica para a próxima. O Custódio mora perto do Templo Budista em uma região do Jardim California chamado Morro do Galo. Sobre a eleição, Custódio diz que o partido não apostou. Confira esta nota sobre o Custódio no Megafone

Nenhum comentário:

Hora Mundial