17 abril 2012

Saiu resultado preliminar do Censo de Observadores de Aves do Brasil

Observação de aves é um segmento importante no turismo mundial; setor terá congresso e feira, mês que vem, em São Paulo

Jackson Lima
Material publicado no Caderno de Turismo d'A Gazeta do Iguaçu de Foz do Iguaçu

Já está no ar o resultado preliminar do Censo Brasileiro de Observadores de Aves realizado pelos promotores do site Avistar Brasil  uma radiografia do segmento do turismo de observação de aves e do hobby no Brasil. O censo foi realizado no final do ano passado. Segundo os autores da pesquisa, o censo teve a participação de 2.464 pessoas em todo o Brasil. Do total, 1.035 observadores (42%) tinham entre 35 e 54 anos; 715 participantes tinham entre 25 e 34 anos (29%). Responderam 356 observadores com mais de 55 anos e a faixa etária até 18 anos contribuiu com 59 formulários respondidos (2%). Os números revelam que 299 participantes estavam entre os 18 e 24 anos (12,1%). 

Os números do censo serão amplamente divulgados durante o congresso e feira Avistar 2012 a ser realizada em São Paulo entre 18 e 20 do mês que vem. Uma das particularidades do censo é a divisão de gêneros em relação à pratica (hobby) de observar pássaros no Brasil. Os homens formam a maioria com 1.705 (69.2%) e 758 mulheres ou seja 30,8 do total. A maioria dos brasileiros que se dedicam ao hobby e que responderam à pesquisa moram em São Paulo (37,3%) seguidos por Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Distrito Federal.

A escolaridade dos observadores e potenciais clientes desse segmento de turismo é alta. Segundo o censo, 46,8% tem curso universitário; 38,3% tem pós-graduação; 13,5% tem o ensino médio completo e 1,4% concluíram o ensino fundamental.  O censo teve como meta fornecer informações para todos os envolvidos na observação de pássaros e incluiu na lista fabricantes de produtos, hoteleiros, agentes de viagens, pousadas, guias especializados, destinos turísticos  e autoridades governamentais que possam ajudar a estabelecer no Brasil este segmento cultural, turístico e econômico.

O censo destacou o que pesa na hora dos participantes escolherem um destino de observação de aves.  A existência de unidades de conservação na região foi a resposta de 61.1%. Boas fotos ou relatos de sucesso de amigos no local foi a resposta de  51.4%.  Ocorrência das espécies que eu procuro 45.8%.  Facilidade de acesso foi escolhida por 40.5%. A existência de uma lista das aves que podem ser vistas no local foi importante para 38.4%. Outros fatores incluíram: outras atividades turísticas na região (35.2%); boa infra-estrutura hoteleira (28.4%); possibilidade de contratação de guias (25.3%); existência de roteiros organizados por operadoras especializadas (17.9%).
Foz do Iguaçu está entre os 24 destinos de observação de pássaros na lista. O cerrado encabeça a lista com 45,5% das citações dos participantes. Foz do Iguaçu está em oitavo lugar  com 19,5%. Além dos 24 destinos principais, aparecem mais sete que começam a atrair observadores do Brasil e exterior: Lagoa do Peixe, Tavares, Mostardas (RS) Alto Paraíso (GO) Fernando de Noronha, Alta Floresta (MT), Presidente Figueiredo (AM), Chapada do Araripe (CE) e Boa Nova (BA). 

O censo quis saber também quanto o observador de pássaro gastou em viagens para observar aves nos quesitos transporte, hotéis e pousadas, guias e taxas de visita e também quanto o observador profissional ou amador gastou na compra de produtos utilizados na observação de aves.  O equipamento inclui câmeras, lentes, memória, iPod, Mp3, microfones, caixa de som e outros.Veja Prévia do Censo!

Nenhum comentário:

Hora Mundial