03 junho 2012

As Novas Setes Maravilhas como uma marca

Em janeiro, deste ano, há seis meses, os Conventions Bureau de Foz do Iguaçu e do Rio de Janeiro anunciaram a criação de um selo a ser chamado Maravilhas do Mundo que será usado “como marca registrada” da divulgação conjunta dos atrativos turísticos das duas cidades. A idéia se deve ao fato do Cristo Redentor no Rio de Janeiro e as Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú (Argentina) terem sido escolhidos como Uma das Nova Sete Maravilhas do Mundo. O Redentor na categoria “man-made”, de confecção antropogênica que dizer feito pelo homem e as Cataratas na categoria “Natural”. Lembra deste anúncio? Se não lembra veja o material original aqui no site Aquarela 2020 sob o título: Embratur apoia promoção integrada de destinos brasileiros.


No último 27 de maio Puerto Iguazú foi sede do menor congresso mundial do mundo. Congresso que reuniu os representantes das Novas Sete Maravilhas. Falo disso no Blog de Foz e lhe convido para visitá-lo e ver fotos. Na entrevista coletiva no Slaviero Suítes em Foz, foi anunciado um projeto parecido com o dos conventions do Rio de Janeiro e Foz. Só que desta vez a proposta é a criação de uma marca para divulgação conjunta das Novas Sete Maravilhas Naturais: Iguaçu / Iguazu, Amazônia, Montanha da Mesa (Table Muntain / Tafenberg) África do Sul; Baía de Halong Vietnã; Rio Subterrâneo Puerto Princesa em Palawan, Filipinas e Ilha de Jeju na Coréia. Há um pré-compromisso de que as “maravilhas” se divulguem mutuamente, se ajudem e que tenham áreas de exposição que mostrem as outras maravilhas. Fiz algumas notas sobre o assunto: Declaração assinada no Congresso Mundial das Maravilhas e sobre a placa de bronze que será colocada nos dois parques nacionais Iguaçú / Iguazú.

Nenhum comentário:

Hora Mundial