21 dezembro 2005

Feliz Natal

Me despeço de vocês este ano. Até 2005. Este foi um ano bom. Concluí a faculdade de comnicação na UDC-Foz do Iguaçu e isso graças a ajuda de muita gente mas especialmente de Charif Hammoud, de quem fui colega de classe e tive o privilégio de conviver com ele naquele ambioenbte de família que só a escola pode oferecer. Obrigado Charif! Eu não sou mais uma pessoa de religião monoteísta, assim eu não peço a Deus que te ilumine. Peço, do meu jeito, a minha galera completa de Deuses e Deusas, junto com o cosmo, o universo, o multiverso (porque universo é pouco, tem que ser multiverso), junto com os anjos da Natureza e como não posso esquecer, que as Cataratas que é um Chacra da Terra e é também uma Deusa que entre nessa agradável tarefa. Obrigado e valeu.

Na nossa turma havia uma ótima galera super unida. Dizem que às vezes o pau comia. Mas como eu tive a sorte de chegar no final da reta ou na reta final, não tive tempo de escolher para quem abrir meu coração. Assim o abri para todos. Para a Idionete, o Robson Meireles, a Maristela Sampaio, a Valesca, a Patrícia Nagata, o Eduardo Apolinário, a minha especialista em folk-comunicação Jociane Kozievitch, a Tatiane Galli, a Claudia Chini, o Fidel Alvarenga, ao Roni, a Regislane, Marili, Rossane, e a todos aqueles que não aparecerem nesta lista devido à memória de alguém que já vive há meio século nesse mundo louco (mais gostoso).

Neste ano comecei este blog de turismo como continuação de meu trabalho na imprensa escrita. Me viciei. Fiz um blog para cada coisa que gosto - quer dizer nem tanto. No setor turístico, não tive garndes alegrias. Mas no setor literário (?) tive o prazer de lançar o meu novo livro na Feira Internacional do Livro de Foz do Iguaçu. Tive ou melhor estou tendo a oportunidfade de amadurecer as idéias e as práticas do ecoturismo com espiritualidade que eu chamo de ecopsicoturismo. No ano que vem estarei na estrada divulgando essa nova modalidade de lazer-aventura, viagem-jornada. O livro não de ser um manual para isso. A cidade não entendeu bem ainda este fato. Mas como autor de dois livros eu já aprendi como as coisas funcionam. Livro é como semente. Você planta. Você pode colher. Mas é possível que não colha. Algumas sementes produzem árvores que vivem 300 anos, 500 anos, mil anos.


Muita paz e muito amor para todos. Descansem. Vão para a praia. Para as montanhas. Mas se dirigirem seus veículos, não bebam. Tampouco corram demais. Os carros têm mania de correr 200 quilômetros, 300 quilômetros em país onde a velocidade máxima é 80, 100, 120 (sei lá, eu não dirijo). Vivam, a vida, se respeitem, se amem. Tudo isso só porque eu quero ver vocês em 2006. Estas notas esrevo pensando na minha turma de jornalismo, no pessoal da UDC, naquele saguão cheio de gente, especialmente as meninas que eu observava atentamente por trás de meus óculos. Meus óculos me escondem, quando é preciso.

Aos colegas, aos professores (Geder, Luciana, Sônias, Beserra etc e até a Rosicler - que nunca nos deu aula, mas que é responsável pela existência dessa faculdade, um abraço. Saudades da UDC, saudades de vocês e quem falar de minha escola será alvo de minha redação. Kwacha quer dizer "O Galo Cantou" em cibemba que quer dizer ainda Vitória! Sorte! (Mais daí por que o galo?), deixa para lá.

Nenhum comentário:

Hora Mundial