22 dezembro 2005

Tchau 2005


Últimas notas de 2005. Estive espionando a ciclovia da Avenida das Cataratas. Esta foi uma coisa que me surpreendeu. Sempre sonhei com uma ciclovia. Foi mais do que esperava. Claro que ainda falta, pelo menos, levá-la até a entrada do Parque. Muito boa! Parabéns ao prefeito. Ao contrário do SS do Ç, e da antiga tentativa de ciclovia na General Meira de 1997, esta idéia foi boa.

Ótima idéia também seria levar a ciclovia para dar uma volta à cidade. Ciclovia para todos os bairros. Há muita gente que anda de bicicletas tanto os pobres como os chiques (chiques daqui e chiques internacionais).

Gostei também dos abrigos feitos de madeira que se espalham pelo trajeto. Creio que os abrigos já são parte do Projeto "Arquitetura do Lenho". Pelo que entendi, a madeira não é da Mata Atlântica, do Parque Nacional ou da Amazônia. É oriunda das árvores podadas ou cortadas nos terreiros dos iguaçuenses. Tudo, afirma-se, com a autorização do Meio Ambiente. Não do Meio Ambiente em sí, mas da Secretaria do Meio Ambiente. Eu, mais ou menos, apurei que a madeira em questão, antes era destinada ao fornos das pizzarias da cidade. Agora têm, afirma-se, um fim mais útil. A idéia me parece boa. E as pizzarias? Ficaram sem lenha? É bom não forçar as pizzarias comoprarem madeira do Mato Grosso, do Paraguai ou da Argentina. A terra é uma só.

Lindo raiar do sol no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu-Cataratas. A pista do Aeroporto está alinhada, deitada, posicionada na direção Leste-Oeste-Leste. Assim, a impressão que se tem, poeticamente falando é que o piloto decola rumo ao sol, decola para o sol, "takes off into the sun", como se diz em inglês. Como se o Parque Nacional estivesse entre o Aeroporto e o Sol. Uma decolagem e tanto especialmente para o vôo da TAM que saiu na hora em que o Rei Sol, dava sua graça. Um abraço à tripulação!

Você sabe por que o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu se chama Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu-Cataratas? Resposta: porque o nome Cataratas foi colocado às pressas. Após uma visita ao canteiro de obras do futuro Aeroporto de Ciudad del Este / Mingá Guazú, lá no iníco da de´cada de 90, eu descobri que o Aeroporto paraguaio se chamaria Aeropuerto Internacional Cataratas. Publiquei uma matéria sobre isso na Gazeta do Iguaçu. Por baixo dos panos, a Infraero não gostou da idéia, e pôs a mão na massa. Elevou a matéria do jornal até os níveis mais altos da empresa e aos ministérios competentes. Poucos meses depois era oficial. O Paraguai não poderia mais usar o nome Cataratas porque Foz do Iguaçu já havia incoroporado o nome. É por isso que faço questão de dizer Aeroporto Internacinal de Foz do Iguaçu-Cataratas. E o Aeroproto paraguaio do Pólo Iguaçu ficou com o nome de Aeropuerto Internacional Guarani.

Só para brincar. Os números a seguir são da Tia. Não é sua tia, é a TIA - Travel Industry Association. Os turistas nacionais e estrangeiros gastam nos Estados Unidos US$ 1.6 bilhão por dia. Ou seja US 68 milhões por hora; US$ 1.1 milhão por minuto e US$ 19 mil por segundo. Cultura inútil é outra coisa!

Só americano pensaria nestes termos: a industria americana do turismo vale US$ 1 trilhão. Se uma nota de um dólar equivalesse a um segundo, o valor da indústria turística americana (1.3 tri) equivaleria a 41.000 anos.

Os governos federais, estaduais e municipais mordem 100 bilhões de dóalres em imposto nos EUA.

Essa é interessante: o turismo americano gera 7.3 milhões de empregos diretamente ligados ao turismo. Dizem os autores dessas cifras, que os empregados diretos do turismo encheriam o estádio Orange Bowl centenas de vezes. Quantas vezes os empregados do turismo do Brasil poderiam encher o Maracanã?

A folha de pagamento do turismo americano é de US$ 162 bilhões. Os turistas estrangeiros gastaram, nos EUA, US$ 94 bilhões em 2004, o que daria para comprar, segundo a TIA, 470 novos Boeings 747.

Os hotéis americanos vendem 2.6 milhões de diárias de hotel / dia. Também, 30% de todas as viagens americanas terminam em um shopping. Ao todo são 342 milhões de viagens com esbanjamento em shoppings. Segundo a TIA, 30% dos turistas domésticos nos EUA, ou seja 118 milhões de viajantes também incluíram no roteiro algum "atrativo" cultural ou histórico.

O que espero de 2006? Espero que as obras no Complexo Aduaneiro da Ponte Internacional da Amizade sejam concluídas. Espero que as autoridades dos dois países imponham um controle efetivo de todos os que passam alí. Só assim, o Polo Internacional Turístico do Iguaçu passará a funcionar. Espero que Foz do Iguaçu não precise mais entregar seus filhos como laranjas para sacoleiros, muambeiros e outras classes criadas pela desordem e anti-progresso nacionais. Espero que a cidade cuide melhor de seus filhos. Que morra menos gente de morte matada - com cada pessoa que morre-matada, o universo perde alguma coisa. E paz! (Nota: o papai Noel da foto não sou eu).

Nenhum comentário:

Hora Mundial