31 janeiro 2006

Lamentável

É lamentável como a mistura irresponsável de política partidária com economia é trágica. Não me refiro a política de turismo no contexto da economia.

A Embratur e o Ministério do Turismo são bons exemplos. Ambos muito políticos. Vi no site H2Foz uma baboseira da Embratur. Preste atenção, não é baboseira do site. Falando sobre o crescimento “assombroso” do número de turistas estrangeiros em Foz do Iguaçu, o diretor de Estudos e Pesquisas da Embratur, José Francisco de Salles Lopes, é citado.

No material citado, o funcionário após “confirmar” que a cidade é um dos principais destinos turísticos do Brasil, diz que o melhor estar por vir. "A disputa pela concessão do Hotel Tropical e a evolução da infra-estrutura da cidade possibilitarão, com certeza, novos recordes nos próximos anos".
Que disputa? Você pediu esta disputa? Que recordes?

Ainda lendo o que sai na imprensa sobre o turismo, vi que o ministro do turismo em uma feira de turismo dessas que abrem o ano, na Europa esteve à cata de investidores estrangeiros para o turismo local. Você está afim desse investimento estrangeiro?

Logo, logo saberemos em que isso vai dar. Mas voltando à baboseira com que comecei as notas: os espanhóis formaram o segundo maior contingente dos turistas estrangeiros à Foz do Iguaçu ou às Cataratas. Foram 57.626 espanhóis e espanholas que visitaram Foz. Legal, né?
Mais novidade, o país “estrangeiro” que mais mandou turistas pra gente foi a Argentina. Isso sim é novidade! (Uhm ?) Foram 212.853 argentinos e argentinas. Agora vejam o terceiro maior contingente de estrangeiros a Foz do Iguaçu: os 38.199 turistas norte-americanos. A partir daí vem o maior trunfo da Embratur do PT, os 14.385 chineses. Esses sim, algo que se pode creditar a esta gestão político-turística.

Falemos sobre o turismo norte-americano. Para um país que tem uma população de 298.010,391 (298 milhões) de pessoas, só 38 mil e uns quebrados vem a Foz durante um ano inteiro. Isso que é trabalho perfeito de marketing, divulgação e de tudo o mais. No mercado altamente segmentado dos Estados Unidos, 54 milhões viajam para observar pássaros. E Foz recebe 38 mil! Louvável.
A qualquer momento os Estados Unidos deixarão de ser uma potência econômica e nós não soubemos vender para a maior economia do Planeta. No momento, não existe outra economia com gente adinheirada que gasta horrores em interesses específicos. Nós não sabemos segmentar para vender. Nós gostamos é de “massa”. Uma coisa para todos.
Faltam números. Vi há poucos dias um texto escrito pelo presidente do Sindicato dos Hotéis, Antônio Rolim de Moura que dava a entender que o aumento no número de turistas não significou o aumento equivalente em dinheiro. Mais gente pagando menos. Mais gente para compensar. Eu ousaria dizer que aumentou a quantidade (Aumentou mesmo?) e caiu a qualidade. Algo parecido com a possibilidade de confundir barriga inchada com barriga cheia. Inchação com crescimento.




Nenhum comentário:

Hora Mundial