25 fevereiro 2006

O turismo e a Igreja

É. Hoje vou falar aqui sobre o turismo e a igreja. O Papa João Paulo II condenou o turismo de massa (2001) afirmando que o turismo de massa se tornou “uma nova forma de exploração”. O papa reclamou de cidades turísticas como sendo lugares onde as “pessoas não têm contato verdadeiro com a cultura local”. O Papa João Paulo II disse que ninguém deve deixar-se enganar. “A ética não tira férias”. Já sabemos porque o Papa disse isso: há muita gente viajando preparada para fazer besteira. Especialmente na área sexual.

O Papa Bento XVI também já abordou o tema logo depois de sua “posse” (2005). O papa Bento XVI disse que o turismo é “um fenômeno social contemporâneo de extrema relevância” e disse que por isso mesmo, “ o turismo deve ser acompanhado pelo respeito as pessoas e cultura e que [os turistas] devem favorecer um maior diálogo e entendimento”.

No mundo evangélico também há preocupação. O Serviço para o Desenvolvimento da Igreja Evangélica Alemã também está presente. Mais informações está no
site deles (espanhol). A exploração sexual infantil é um dos alvos mas também está a falta de benefícios do turismo para as populações locais. Há até ligações interessantes entre grupos religiosos e investidores para esclarecer, ajudar, proteger e boicotar negócios. Exemplo: tem empresários cristãos da construção civil que sugerem boicotar fábricas de bulldozers que vendem Caterpillars para o Exército de Israel. Israel usva os tratores para derrubar barraco de palestino. Tem de tudo no mundo!

Quem diria? A Disney aparece na lista de uma ONG que destaca as 25 empresas mais irresponsáveis com o ambiente em que vivemos. A Monsanto com a tecnologia “terminator” que castra sementes, geneticamente, está na mesma lista. A lista foi divulgada em Davos, Suiça.

A Diocese de Foz do Iguaçu também está ligada nos turistas. Um folheto especial que está sendo distribuído aos turistas, lista as 10 paróquias da cidade e avisa estar de portas abertas para aqueles que desejem participar das celebrações eucarísticas. Essa consciência vem do alto. Os turistas e os migrantes são protegidos pela Pastoral do Turista e do Migrante - dioceses de todo mundo estão abrindo escritórios da pastoral do turismo e migrante. Outras do turismo e peregrinação. É o caso de Brescia na Italia, por exemplo. A CNBB do Brasil está trabalhando na página da
Pastoral do Turismo do Brasil. Logo ela abre, e eu aviso!

Vale destacar que a Diocese de Foz do Iguaçu inclui os municípios de Céu Azul, Diamante d'Oeste, Itaipulândia, Matelândia. Medianeira, Missal, Ramilândia, Santa Helena, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, São José das Palmeiras, Serranópolis do Iguaçu e Vera Cruz do Oeste. Foz do Iguaçu é a capital, digamos assim. A Diocese de Foz foi criada pela Bula Papal De Christiani Populi,de 1978, pelo Papa Paulo VI. Antes pertencíamos a Toledo. O primeiro bisbo de Foz foi Dom Olívio Aurélio Fazza. Agora o bisbo diocesano é Dom Laurindo Guizzardi.

Segundo o folheto, os turistas também são parte da família diocesana de Foz. É o que eu dizia sempre: o turista também é cidadão. Ou, turista também é filho de Deus.

Em outras palavras, sem passaporte, sem dinheiro (em caso de roubo) o turista não passa de um sem-teto. Até que o consulado entre em ação - se o país for bom! É por déias como tais, que as pessoas dizem que eu viajo na maionesa. Eu concordo! Feliz Carnaval nos clubes, nas ruas, nos retiros. Não faça besteira. Não morra. Fique vivo para ler as próximas notas!

Nenhum comentário:

Hora Mundial