22 outubro 2006

Queda de Vôos fretados

Foz do Iguaçu está preocupada com a crise do turismo. Segundo artigo publicado na Gazeta do Iguaçu, a Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária) resgistrou, de janeiro a setembro, 70 vôos fretados. Dos quais 66 domésticos e quatro internacionais. Uma média de oito por mês. Em todo o ano passado, o órgão liberou 170 procedimentos (150 nacionais e 20 vindos direto de outros países) — pouco mais de 14 por mês. Então houve queda.


Além dos vôos fretados (charters), a cidade sentiu o fim de todos os vôos da Varig, pelos motivos que todos conhecemos e, por azar, de vôos da TAM e da GOL. Parte do problema de Foz do Iguaçu se deve ao perfil da cidade como exclusivamente turístico. Para que as linhas aéreas tenham bom aproveitamento, o volume dos negócios tem que ser dividido entre cargas, passageiros executivos (negócios) e turistas. Os turistas representam somente entre 25% e 30% do aproveitamento do vôo.


Na foto acima, cedida pela Infraero, aparece um avião Jumbo 747 da Qantas - Linha Aérea da Austrália. O Cangurú voador chegou a Foz do Iguaçu com 260 passageiros abordo. Este avião gasta 12.788 litros de querosene de aviação (QAV) por hora para transportar entre 390 e 569 pessoas como as Notas publicaram em
postagem anterior.

Nenhum comentário:

Hora Mundial