11 dezembro 2006

Para pensar



A foto acima mostra a Piazza de San Marco, em Veneza, inundada, sob um metro, pelo menos, de água do mar. O fenômeno creditado à vaca louca climática que caiu sobre o Planeta do Homo sapiens (homem sábio) aconteceu na semana passada graças a uma convergência da MARÉ ALTA ou "acqua alta", para os italianos, e o vento quente que sopra do Saara conhecido como "Sirocco". A foto é do site Terra Daily .

A mesma fonte revela ainda que a grande seca da Austrália estaria causando um número alarmante de suicídios de fazendeiros. Ainda bem que a moda não pegou no Brasil - pobres agricultores brasileiros. Já para o lado do Atlântico, os cientistas prevêem uma estação mais furiosa de furacões em 2007.

Enquanto isso o presidente eleito do Equador, Rafael Correa, falou de aumentar as relações com o Brasil e falou de implementar o corredor Manta - Manaus o que exigiria investimentos pesados em "estradas" (?) e "hidrovias" do Amazonas. Hidrovias é o nome neo-liberal para "rios" e isso demandaria dragagem de rios como o Coca e o Napo. Já ouviu falar deles? O Notas do Turismo já se adianta e avisa: é contra a loucura de "dragagem de rios amazônicos". Veja aqui fotos da região dos rios Coca e Napo em direção ao Rio Amazonas. Fotos de Jim Steihart.

O espanhol Francisco de Orellana desceu os dois rios em sua viagem de "descoberta" do Rio Amazonas. Foi nessa viagem que ele diz ter visto mulheres guerreiras que atacaram o barco e terminaram atingindo Orellana, no olho, com uma flecha. Os índios yaguas que usam saias de "capim", dizem que Orellana, na realidade, viu os "yaguas" muy machos que defendiam a terra da armação até então nunca vista. Mas foi graças ao delírio de Orellana que o enorme rio ganhou o nome de Rio das Amazonas - mulheres guerreras.

Os portugueses não gostaram da idéia de espanhóis aparecerem em Belém, entrando assim pelo fundo da casa. Por isso, uma expedição "brasileira foi organizada para dar o troco. Pedro Teixeira, subiu de Belém até o rio Coca - em uma das maiores expedições do Brasil. Com exceção da Marinha do Brasil que tem um navio chamado Pedro Teixeira e do Exército Brasileiro, poucos se fala, divulga, se ensina sobre o herói brasileiro.

A região do rio Coca é área de produção e conflito de petróleo e Manta tem um aeroporto enorme que serve como Base da Força Aérea do Equador e da Força Aerea dos Estados Unidos. A Base se chama Eloy Alfaro. Rafael Correa prometeu não renovar a permissão de uso para os americanos. Vamos ver. Um bom passa tempo é olhar os aviões F 15 e F 16 decolando para procurar aviões da "Traficantes Air Force" que tentam levar coca para o mundo. A Eloy Alfaro é parte do Comando do Sul do Exército Americano - Sul aí inclui nós. Hi, Hi!

Nota: o autor destas linhas foi guia de turismo na Amazônia brasileiro-colombo-peruana. Na época a navegação até o Equador era proibida. O motivo tem quatro letras: Peru. O Peru levou a maior parte das terras do Equadopr que firma ter tido fronteira com o Brasil ou chegado muito perto. Adoreio falar de Amazônia aqui. E por falar em Amazônia lembro que a minissérie da Glória Perez / Rede Globo sobre a Amazônia está imperdível. É o Acre na sua casa. Será mais uma prova de que: Globo e Você Tudo a Ver! Confira o blog da Glorinha!

Nenhum comentário:

Hora Mundial