02 fevereiro 2007

100-coisas para fezer na Tri-Fron

Há poucos dias produzi uma lista sobre coisas que se pode fazer em Foz do Iguaçu e região. Primeiro a fiz em inglês. Depois a pedido da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Foz do Iguaçu, traduzi para o português. Fiquei muito contente e surpreso quando descobri que a Agência de Notícias da PMFI colocou a minha lista, na íntegra, no site oficial. Para mim isso é um privilégio. O que quis mostrar é que o turismo pode meter-se com muito mais coisas. Pode vender de tudo. E como hoje em dia, o mundo ficou mais complicado, a responsabilidade social do segmento aumentou. Por isso, incluí na lista, coisas como "pegue uma aulas de tango", de capoeira, de dança do ventre, de samba, porque temos profissinais para isso, E eles estão sofrendo para poder pagar as contas. Há convites do tipo, vá a "Vila A", vá a Festa de Iemanjá etc. Há uma série de atividades que eu ofereço, ligadas à meditação, ao reiki. Eu também sofro para sobreviver. O que não é correto é manter o turismo no caminho extinto dos day-tours (tour de um dia)etc. Veja uma mini-lista (inglês-português) de novas idéias no turismo(volte sempre a esta nota porque a lista vai crescer): A mensagem final é que o turismo como o conhecemos tem que mudar e muda, por bem ou por mal. A Receita está mostrando como se muda na marra. E o Ibama vai ter que apertar os parafusos também. O que eu questiono é que se apertem parafusos sem transparência. E aí, você vai mudar ou não vai?


A mini-lista:

1.Community-based tourism / Turismo com base na comunidade (que é isso?)
2.Responsible Tourism / Turismo responsável (que é isso?)
3.Volunturism / Volunturismo - Turismo via voluntariado (E isso?)

No Brasil, já podemos ver ligações entre o turismo (Ministério do Turismo) com setores como a agricultura (Min.Agricutura, Secretaria Nacional do Desenvolvimento Agrário), Meio Ambienbte (via Ministério do meio Ambiebte), Economia Solidária (Via Ministério do Trabalho) Agricultura Urbana e o Programa Fome Zero via Ministério da Integração, idéias como a compre-local (de onde vem o tomate que Foz consome? E muitas outras. Assim a lista das 100 coisas quer levantar um dedinho para apontar um caminho. Obrigado!

Nota: é por isso que o Notas do Turismo pega tanto no pé da Administração do Parque Nacional do Iguaçu e o modelo capitalistíssimo que quer implantar no Brasil - sem reconhecer a existência de toda a complexidade acima descrita de forma telegráfica.

Nenhum comentário:

Hora Mundial