22 fevereiro 2008

Vietnã começa a exportar turistas

Parece um desfile. Você fica sentado em um lugar, de preferência suave, e o desfile dos mercados emissores (exportadores ou o contrário do receptivo) passa na sua frente. Italianos, espanhóis,japoneses,taiwaneses, coreanos,russos, chineses, indianos. E agora? Vietnamitas!

Minha fonte é um artigo no site "TravelMole", sobre um relatório no site da empresa "Euromonitor". A Euromonitor é uma empresa de "inteligência de mercado" que trabalha em cima de empresas, países e consumidores. A palavra inteligência não tem nada a ver com aquela "inteligência do QI". É inteligência no sentido de levantar informações antecipadas e sigilosas, pelo menos para a maioria dos que dormem, sobre alguma coisa, para ajudar a nortear, evitar ou mirar em alguma outra coisa. O alvo do relatório é o Vietnã. Nada de guerra. Refugiados e outras tragédias. Confira!

Os números do Vietnã são os seguintes: Em 2007 1.2 milhão de vietnamitas deixaram o país como turistas. O crescimento do número de embarques para o exterior foi 20% maior em 2007 que em 2006 e promete se manter em 22% anualmente até 2012. Taxa maior que a da China e India. O nível de vida dos vietnamitas está melhorado. Já há 700 mil lares com renda superior a US$500 (2007). Esse nível de renda deverá quadruplicar e chegar a 3.4 milhões de lares até 2015.

Mais de 100 agências de turismo "emissivo" abriram no ano passado oferecendo pacotes para o exterior. Está mais barato para um vietnamita comprar um pacote para passar as férias na Tailândia, do que curtir o Vietnã. Os destinos mais próximos: China, Malásia, Tailândia dominam a lista dos destinos dos sonhos. Mas há viagens de longo alcance. Crescem as viagens para estudar no exterior. Aí, já lucram a Austrália, Estados Unidos, Japão e China.

Assim, é só sentar naquele lugar agradável e ver quato tempo vai levar, para ver os vietnamitas chegarem. Para a sua diversão visite os links que dou sobre coisas do Vietnã (Vietname - para os portugueses).

Vietravel
Saigontourist

Nenhum comentário:

Hora Mundial